19 julho 2014

As plantas suculentas

são plantas muito interessantes esteticamente, - pela forma das folhas e/ou caules e pelas cores que desenvolvem – mas são, também, muito pouco exigentes em termos de cultivo, mantendo-se facilmente exuberantes com  pouca manutenção.




São plantas que pertencem aos xerófitos – plantas que desenvolvem uma estrutura especial como o reforço das paredes celulares cujo objectivo é desenvolver a capacidade de resistir às secas – portanto, são plantas que se desenvolvem em zonas onde chove com pouca frequência. Desenvolveram a capacidade de armazenar reservas hídricas no corpo vegetativo, evitando assim a transpiração. As características que as tornam únicas, e que têm conquistado cada vez mais admiradores pelo mundo inteiro, são precisamente as modificações anatómicas que sofreram para evitar a perda de água (transpiração):

- aumento da expessura da cutícula
- a forma das folhas das suculentas, com a superfície arredondada ou aovoides
- o desenvolvimento de espinhos que têm como função a proteção em relação aos animais, formam uma barreira contra os ventos, absorvem a humidade circundante, projetam sombra
- desenvolvimento de excrescências pilosas





As plantas suculentas  podem ser de raiz, caule ou folha, dependendo do local onde armazenam água, desenvolveram-se em várias continentes, contudo, é na América e África onde grande parte das famílias tiveram origem.

Foi no período dos Descobrimentos que muitas plantas suculentas começaram a chegar à Europa e a partir do século XVI começam a integrar os Jardins Botânicos


Sem comentários:

Enviar um comentário